Foi-se

Bater na madeira. Uma, duas, três vezes.
Chances, todos nós temos chances. Não foi isso que ele disse certa vez? Consigo quase lembrar das palavras. "Todo mundo tem sua chance, Katt". E aí me deu as costas. Ele bateu à porta e eu na madeira. Sabe o que mais todos nós temos? Sonhos. E quem acabe com esses sonhos, os cubra de disel e ateie fogo. Lágrimas, nunca vi um ser humano que não as possuísse. Alguns fazem questão de mostrá-las em público, outros só choram sozinhos e sempre tem um ou outro (homem, quase sempre) que suprime sua existência.
Existência, todos falam disso como se fosse a razão de tudo. Lamento avisar que existir é sobrestimado demais. Todo mundo existe, e não precisa nem ser lá grandes coisas. Bactérias e fungos e vírus e átomos.
Ele foi indo, e indo, e indo. Não me interessa. Chances, certo... Me faz rir, gargalhar.

Um comentário:

Leni disse...

Interessante seu blog, o que vc faz e o que vc quer ser, e o que você será... seu post parece meio revoltado, porém me faz refletir sobre essa existência inútil... abraços